ARTIGOS E NOTÍCIAS

09/12/2020

POIS: Síndrome da Doença Pós-Orgásmica

POIS: Síndrome da Doença Pós-Orgásmica

O POIS (Síndrome da Doença Pós-Orgásmica) é considerado raro por especialistas, mas pode ser subnotificado.

 

POIS (Síndrome da Doença Pós-Orgásmica) é considerado raro por especialistas, mas pode ser subnotificado. Causa uma série de sintomas após o orgasmo, como fadiga, fraqueza muscular, febre, congestão, coceira nos olhos e coriza. Algumas pessoas com POIS têm a sensação de estar gripadas. Outros ficam irritados ou têm problemas para se concentrar ou falar.

 

O POIS não foi amplamente estudado, mas pesquisas anteriores de Waldinger et al. sugeriu cinco critérios de diagnóstico:

 

- Sintomas descritos acima, que podem ser classificados em grupos: geral, semelhante a gripe, cabeça, olhos, nariz, garganta e músculos.

- Os sintomas começam horas após o orgasmo.

- Os sintomas acontecem mais de 90% das vezes.

- Os sintomas duram de 2 a 7 dias.

- Os sintomas se resolvem “espontaneamente”.

 

O presente artigo acrescentou à literatura ao descrever as experiências de 302 homens que participaram de um grande fórum internacional para pessoas com POIS. Os homens vieram de 61 países em 6 continentes. A maioria era caucasiana. Os autores usaram os critérios de Waldinger, et al. para orientar suas pesquisas.

 

Cada homem completou uma pesquisa de 30 itens, fornecendo informações sobre seus sintomas de POIS, o curso de sua doença e as maneiras como o POIS afetou sua vida. A idade média dos participantes foi de 32,6 anos. Eles começaram a ter sintomas de POIS com uma idade média de 19,1 anos.

 

Os destaques das descobertas incluem o seguinte:

 

- Cerca de 85% dos homens começaram a ter sintomas de POIS horas após o orgasmo. Para cerca de 40%, os sintomas começaram em 30 minutos.

- Cerca de três quartos dos homens apresentaram sintomas após o orgasmo em cerca de 90% a 100% das vezes.

- Aproximadamente 61% dos homens disseram que seus sintomas duraram entre 2 e 7 dias.

- Mais da metade disse que seus sintomas desapareceram espontaneamente. Para 22%, os sintomas desapareceram gradualmente e 24% dos homens não tinham certeza.

- Em média, os homens preencheram 3,8 dos 5 critérios diagnósticos de Waldinger et al. A maioria atendeu a pelo menos 3 critérios e um quarto dos homens atendeu a todos os cinco.

- Os sintomas mais comuns foram “dificuldade de concentração” (afetando 84% dos homens), “fadiga extrema” (83%), “irritabilidade” (74%) e “fraqueza muscular” (70%). Sessenta e cinco por cento disseram que tinham dor “significativa ou intensa”.

- Homens que caíram nos grupos de “cabeça” e “garganta” tendem a ter sintomas mais graves.

Ejaculação precocedisfunção erétil, alergias, depressão e transtorno de ansiedade generalizada foram comorbidades relatadas.

 

Além disso, mais de 70% dos homens disseram que evitavam a masturbação ou reorganizavam sua programação diária para controlar os sintomas de POIS. Cerca de 62% disseram que evitam ter relações sexuais.

 

Pouco mais da metade dos homens havia consultado um médico para POIS. Os pacientes tentaram uma variedade de tratamentos, incluindo anti-histamínicos, inibidores seletivos da recaptação da serotonina (SSRIs), benzodiazepínicos, niacina e antiinflamatórios não esteroidais. Alguns homens experimentaram vitaminas, produtos à base de ervas e suplementos.

 

Cerca de metade dos homens que tomam anti-histamínicos viram seus sintomas melhorarem. A niacina e os anti-inflamatórios não esteroides funcionaram bem para cerca de três quartos dos usuários.

 

Os pesquisadores explicaram que seus resultados são preliminares. No entanto, eles também notaram diferenças na idade de início. Mais da metade dos homens começou a ter sintomas de POIS entre os 10 e os 17 anos. Para o restante do grupo, os sintomas começaram quando eles tinham entre 18 e 59 anos.

 

“Talvez isso reflita apresentações de doenças primárias e secundárias em que a síndrome se apresenta na primeira ejaculação e mais tarde na idade adulta, respectivamente”, escreveram os autores.

 

Eles pediram um estudo mais aprofundado para uma melhor compreensão do POIS e para o desenvolvimento do tratamento.

 

Fonte: http://marciodantas.med.br/blog/3134/pois-sindrome-da-doenca-pos-orgasmica?